top of page
  • movE Eletromobilidade

Carregamento lento x carregamento rápido: como fazer a escolha certa para carros elétricos?

Que os carros elétricos estão ocupando cada vez mais espaço nas ruas, isso é fato. Mas ao mesmo tempo em que esse mercado avança, surgem inúmeras discussões sobre diversos assuntos, principalmente sobre o carregamento desses veículos.


O primeiro ponto a ser levado em consideração sobre isso é onde encontrar os carregadores. Para realizar a recarga dos carros, o motorista pode utilizar pontos de acesso geral em supermercados, postos de gasolina, estacionamentos e shoppings, ou utilizar um de uso privativo em condomínios e na garagem da própria casa.


Outro ponto importante é o tipo de carregamento a ser realizado. Existem dois tipos principais no que diz respeito à potência e velocidade: o carregamento lento, e o semirrápido, com corrente alternada (AC) e o carregamento rápido, com corrente contínua (DC). Cada um deles tem suas vantagens e desvantagens, sendo indicados para situações e cenários diferentes.


No artigo de hoje, falaremos sobre as principais diferenças entre o carregamento lento e o carregamento rápido, com o objetivo de auxiliar o usuário na compreensão de qual é o ideal para cada tipo de situação.


Boa leitura!


Carregamento lento: como funciona, vantagens e desvantagens


O modelo de carregamento lento é utilizado em casos onde a estação de recarga tem potência menor, muitas vezes realizado na casa do usuário. O tipo de corrente é a alternada (AC), com uma potência de até 7,4 kW e um tempo médio de recarga de aproximadamente mais de 8 horas de 0 a 100%, podendo variar de acordo com as especificidades do veículo e da bateria.


Entre as vantagens de optar por esse modelo é que o consumidor pode ter uma economia no investimento inicial, já que os carregadores lentos têm um custo de aquisição e de instalação mais barato do que os carregadores rápidos.


Outro benefício atrelado ao carregamento lento é a praticidade de poder carregar o veículo em casa. Em um cenário onde o usuário chega em casa, deixa seu veículo carregando e vai realizar suas atividades do dia a dia para poder utilizar o veículo no dia seguinte, existe uma otimização de tempo significativa.


Por outro lado, as desvantagens que acompanham esse modelo estão ligadas ao tempo de carregamento mais prolongado e a falta de agilidade em momentos em que o veículo precisa estar pronto para o uso rapidamente.


Carregamento rápido: como funciona, vantagens e desvantagens


No carregamento rápido de veículos elétricos o modelo é realizado por corrente contínua (DC) em estações de alta potência, que podem variar de 30 kW (rápida) até 350 kW (ultrarrápida). O tempo médio para recarga na recarga rápida gira em torno de 2 horas e da recarga ultrarrápida pode ser em até 30 minutos, podendo variar de acordo com o modelo do carro e da bateria.


A principal vantagem do modelo é justamente a velocidade do carregamento que traz uma eficiência muito prática para os usuários que estão sempre em movimento. Normalmente, com esse tipo de estação de recarga o usuário tem seu carro recarregado em questão de minutos.


Outra vantagem é que é muito comum encontrar estações rápidas em locais públicos como estacionamentos ou postos ao longo de rodovias, sendo essa a opção ideal para quem quer utilizar o veículo elétrico para fazer viagens mais longas com a segurança de um carregamento em tempo otimizado.


A desvantagem desse modelo é que por ser mais prático tem um custo maior por kWh, se comparado ao modelo mais lento, além de o equipamento em si e sua instalação também terem um alto custo de investimento.


Como escolher entre o carregamento lento e o rápido?


Em relação a escolha de cada um, como podemos perceber por conta da aplicação e dos tipos de estação de recarga, existem muitas variáveis. O modelo de carregamento lento ou rápido dependerá da necessidade de cada usuário e de cada situação presente.


No que diz respeito à saúde da bateria, há discussões e pesquisas que afirmam que a recarga em DC, ou seja, a recarga rápida, pode desgastar a bateria e tornar sua vida útil menor. Entretanto, algumas pesquisas já avaliam o resultado do carregamento com tecnologias para gestão de temperatura da bateria, onde a diferença da vida útil em recarga lenta e rápida é semelhante. 


Para quem busca praticidade e economia


Além dos modelos que citamos acima, existe uma opção mediana que fica entre os dois, trazendo vantagens para consumidores que querem um carregamento não tão demorado quanto o dos carregadores lentos, mas também que não precisam de um investimento tão alto como os carregadores rápidos.


Os carregadores semirrápidos têm de 7 a 22 kW e podem carregar um veículo no período entre 2 a 6 horas, dependendo da potência da estação de recarga, do modelo do carro e do tipo de bateria.


Independente dos fatores que levam à escolha, o usuário deve estar atento às suas necessidades e as especificidades do veículo, sempre procurando locais seguros e acompanhando as tecnologias desse mercado que está em uma evolução constante.


75 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page