Qual o tempo de recarga de um veículo elétrico?

Qual o tempo de recarga de um veículo elétrico?

Esta é uma dúvida muito comum e frequentemente me é perguntado por pessoas que ainda não conhecem a tecnologia, afinal esta é uma importante informação a se saber por um possível usuário. Do outro lado, a resposta pronta e mais imediata que nos vem à cabeça é o famoso “depende”. Saindo um pouco do simplismo, tentarei apresentar melhor os fatores que influenciam no tempo da recarga, e o por quê na maioria dos casos isso fará pouca diferença.

Carregador onboard

O principal componente que influencia no tempo de recarga de um veículo elétrico é o carregador onboard do veículo. Todo veículo elétrico possui um carregador onboard, isto é, um carregador interno para retificar e garantir os níveis adequados de tensão e corrente para carregar as baterias do veículo.

O carregador onboard pode ser monofásico ou trifásico, e sua potência variar de 7,4 kVA (monofásico) até 22 kVA (trifásico), e é isso que faz do carregador onboard o principal influenciador no tempo de recarga, já que ele é o fator limitante do processo de recarga em corrente alternada.

Exemplo: Em um mesmo carregador trifásico de 22 kVA o Renault Zoe irá carregar mais rápido que o BMW i3, pois o Renault Zoe vem equipado com um carregador onboard trifásico de 22 kVA, já o BMW i3 com um monofásico de 7,4 kVA. Deste modo, a potência de recarga do i3 fica limitada a uma das fases.

Potência do Carregador

A potência do carregador é outro fator que também influencia no tempo de recarga. No caso da corrente alternada, o ideal é que possua a mesma potência do carregador onboard, assim estará sendo utilizado todo o potencial, já no caso de corrente contínua é possível obter uma recarga muito mais rápida, com carregadores iniciando em 24 kVA e chegando a 175 kVA. Claro que neste caso, o veículo também possui um limite máximo de suportabilidade de corrente em regime de recarga, o que em muitos casos vai limitar a potência do carregador.

Capacidade de Armazenamento

Cada veículo possui um banco de baterias de um tamanho, podendo ser feito um comparativo direto com um tanque de combustível de um veículo convencional. Quanto maior esse “tanque” mais tempo levará para obter a carga completa.

Tempo médio de recarga

Sabendo as questões que influenciam o tempo de recarga de um veículo, é importante saber também que a velocidade da recarga não é constante para todo o processo, pois próximo do final da carga completa, é necessário um melhor ajuste nos níveis de tensão das baterias, o que retarda o processo. É possível aproximar para uma constante a velocidade de recarga entre os 20% e 80% de bateria. Deste modo, um veículo carregando em 7,4 kVA, nesta faixa constante consegue armazenar 7,4 kWh em uma hora de recarga.

 

Mudanças no comportamento do usuário

Observando o tempo de recarga dos veículos é possível que muitos se espantem com a morosidade do processo, em relação ao veículo à combustão. Porém, é importante observar que não é necessário que o seu veículos esteja sempre a 100% para utilização, assim como o veículo convencional não está sempre de tanque cheio. Tendo a consciência do uso e fazendo um planejamento mínimo, o usuário irá mudar o seu hábito e carregar o veículo nos momentos propícios, como fazemos com o smartphone.

Considerando que o usuário disponha de uma potência mínima diária de 3,6 kVA e de ao menos 5 horas de disponibilidade para carregar seu veículo durante a noite, na manhã seguinte terão sido adicionados aproximadamente 108 km de autonomia, o que é quase 3x mais do que a rodagem média do brasileiro.

Independente do tempo da recarga, é importante poder acompanhar a recarga em tempo real, estipular meta baseada em autonomia, além de outras praticidades que os sistemas movE trazem ao usuário.

Think smart, move on

 

Deixe uma resposta